Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Semana Santa: significado de cada dia.

Compartilhe:
maeefilho

paixaodenossosenhorDomingo de Ramos

O Domingo de Ramos dá início à Semana Santa e lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, poucos dias antes de sofrer a Paixão, a Morte e a Ressurreição. A Igreja recorda os louvores da multidão cobrindo os caminhos para a passagem de Jesus, com ramos e matos proclamando: “Hosana ao Filho de Davi. Bendito o que vem em nome do Senhor”. (Lc 19, 38; Mt 21, 9). Com esse gesto, portando ramos durante a procissão, os cristãos de hoje manifestam sua fé em Jesus como Rei e Senhor.

Segunda-feira Santa

Momento de descanso de Jesus, na casa de uma família que Lhe era muito estimada, a casa de Seu amigo Lázaro. A Unção que o Messias recebe de Maria já é a preparação para que o Cordeiro de Deus seja Imolado para nossa Salvação. Muitos celebram a Missa do Silêncio ou a Via Sacra. Ambas levam aos fiéis a recordar o grande amor de Deus que nos dá seu Único Filho para a nossa Redenção.

Terça-feira Santa

Já está próxima a sua entrega em sua Paixão e Morte. Jesus anuncia a sua morte e a traição de Judas Iscariotes. Em muitas paróquias se celebram as sete Dores de Maria. Unida a seu Filho como Coredentora, a Virgem Maria também vive na alma as dores da agonia e do sofrimento do redentor, cumprindo-se a profecia de Simeão que uma espada de dor transpassaria sua alma (Cf. Lc 2, 34-35).

A Mãe de Nosso Senhor viveu tudo pela salvação da humanidade. A imagem de Nossa Senhora das Dores, da Mãe sofredora, que tem o Crucificado nos seus braços, nos ajuda a mergulhar nas dores da paixão de Nosso Senhor.

1ª Dor – Apresentação de meu Filho no templo

2ª Dor – A fuga para o Egito

3ª Dor – Perda do Menino Jesus

4ª Dor – Doloroso encontro no caminho do Calvário

5ª Dor – Aos pés da Cruz

6ª Dor – Uma lança atravessa o Coração de Jesus

7ª Dor – Jesus é sepultado

Quarta-feira Santa

Em muitas paróquias realiza-se a famosa “Procissão do Encontro”. Os homens saem, de uma igreja ou local determinado, com a imagem de Nosso Senhor dos Passos; as mulheres saem de outro ponto com Nossa Senhora das Dores. Acontece, então, o doloroso encontro entre a Mãe e o Filho. O padre proclama o célebre “Sermão das Sete Palavras”, fazendo uma reflexão, que chama os fiéis à conversão e à penitência.

Quinta-feira Santa

Santos óleos

Uma das cerimônias litúrgicas da Quinta-feira Santa é a bênção dos santos óleos usados durante todo o ano pelas paróquias. São três os óleos abençoados nesta celebração: o do Crisma, dos Catecúmenos e dos Enfermos.
Ela conta com a presença de bispos e sacerdotes de toda a diocese quando renovam seus compromissos sacerdotais e o de servir a Jesus Cristo na sua Igreja.

Celebração do Lava-pés

É o dia da Última Ceia de Jesus Cristo com Seus Apóstolos, onde Jesus humildemente lavou os pés dos Seus 12 discípulos. É no momento do lava-pés que Judas Iscariotes sai, para entregar Jesus em troca das 30 moedas de prata (Jo 13,1-15). Foi aqui, que Nosso Senhor Jesus Cristo instituiu o Santo Sacrifício como Sua eterna memória, e em Seu último discurso, encorajou os discípulos a amarem-se uns aos outros. Depois Jesus dirigiu-se ao monte de Getsêmani, tomou Consigo três discípulos, e começou a Sua agonia nos jardins, onde foi preso pelos judeus.
É nesta noite que Jesus é preso, interrogado e ao amanhecer de sexta-feira, açoitado e condenado. A Igreja inicia a vigília ao Santíssimo em outro ambiente fora da igreja, relembrando os sofrimentos começados por Jesus nesta noite, estando unido a Ele em sua solidão da prisão.

Sexta-feira Santa: dia de Jejum e oração.

A tarde da Sexta-feira Santa, às 15hs, momento da morte do Senhor, se apresenta o drama incomensurável da morte de Cristo no Calvário. No único dia do ano litúrgico que não se celebra o Santo Sacrifício da Missa, a cruz, erguida sobre o mundo, segue de pé como sinal de salvação e esperança. Com a Paixão de Jesus, segundo o Evangelho de João, contemplamos o mistério do Crucificado, com o coração do discípulo Amado, da Mãe, do soldado que o transpassou o lado. Há um ato simbólico muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da santa cruz, momento em que esta é apresentada solenemente à comunidade.

Sábado Santo

No Sábado Santo ou Sábado de Aleluia, a principal celebração é a “Vigília Pascal”.

Vigília Pascal

Inicia-se na noite do Sábado Santo em memória da noite santa da ressurreição gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a chamada “a mãe de todas as santas vigílias”, porque a Igreja mantém-se de vigília à espera da vitória do Senhor sobre a morte. Cinco elementos compõem a liturgia da Vigília Pascal: a bênção do fogo novo e do círio pascal; a proclamação da Páscoa, que é um canto de júbilo anunciando a Ressurreição do Senhor; a liturgia da Palavra, que é uma série de leituras sobre a história da Salvação; a renovação das promessas do Batismo e, por fim, a liturgia eucarística.

Domingo de Páscoa

A Páscoa não acontecerá nem antes de 22 de março, nem depois de 25 de abril. Conhecendo-se a data da Páscoa, conheceremos a das outras festas móveis. Domingo de Carnaval – 49 dias antes da Páscoa. Quarta-feira de Cinzas – 46 dias antes da Páscoa. Domingo de Ramos – 7 dias antes da Páscoa. Domingo do Espírito Santo – 49 dias depois.Corpus Christi – 60 dias depois.

É a Festa da Vitória de Cristo sobre todo o mal: o pecado, o demônio e a morte. Com ele Ressuscitamos para a vida nova em Deus. Aleluia é o grito de louvor e gratidão. O Brado da Vitória e da esperança: Cristo Jesus, ressuscitou! Aleluia, verdadeiramente Ressuscitou!

 

Deixe seu comentário:

Menu